O que é YOLO economy? Como ela tem impactado o mercado?

Entenda o que é YOLO economy, os impactos dessa filosofia de “só se vive uma vez” no mercado e a relação com o pós pandemia.

YOLO, o que é esse termo? O que ele significa? Você já tinha ouvido falar?

Só se vive uma vez. Esse tem sido o lema de muitas pessoas hoje em dia e que deve perdurar especialmente na pós pandemia.

A Covid-19 impactou a vida de pessoas no mundo inteiro, trazendo ainda mais incertezas sobre o dia de amanhã.

Esse contexto pandêmico estimulou um comportamento não necessariamente novo, mas que ganhou força no último ano. Estamos falando do You Only Live Once - ou YOLO economy.

Neste artigo, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre o que é a economia do “só se vive uma vez” e os impactos que esse comportamento exerce no mercado.

Leia também em nosso blog: Economia Criativa e Economia da Paixão, que história é essa?

Antes de falarmos de YOLO economy, que tal entender melhor o conceito de YOLO, o que significa essa sigla afinal?

Este video da Professora Manuka te deu a resposta: 

O que é YOLO economy?

YOLO é a sigla para a expressão You Only Live Once - em português, “só se vive uma vez”.

A YOLO economy é um dos efeitos pós pandemia (pelo menos para os países que já podem olhar esse período difícil pelo retrovisor).

Trata-se de uma tendência apontada recentemente pelo colunista do The New York Times, Kevin Roose. Em seu artigo, publicado em maio de 2021, Roose chama a atenção para um comportamento observado principalmente entre os Millennials (nascidos na década de 1980 até o final do século XX).

Em decorrência da pandemia de Covid-19, profissionais da chamada geração Y têm abandonado seus empregos e ido em busca de ocupações que realmente o satisfaçam tanto no campo profissional como no pessoal.

Roose observou uma tendência dos Millennials em assumir mais riscos em prol de um estilo de vida que lhes dê maior realização e autonomia para fazer o que bem entenderem.

A YOLO economy, segundo o artigo do The New York Times, é fruto de um comportamento rebelde (no melhor sentido da palavra) de uma geração disposta a abrir mão de uma estabilidade de emprego para arriscar e experimentar outras alternativas que não a faça ser refém de um corporativismo tradicional.

Características e motivações da economia do You Only Live Once:

  • Flexibilidade no trabalho;
  • Autonomia para fazer que quer e quando quer;
  • Uma ocupação que tenha mais valor;
  • Menor disposição para processos burocráticos;
  • Busca por uma maior qualidade de vida;
  • Gastar mais e poupar menos;
  • Valorização do “aqui e agora”.

Veja também: Qualquer um pode ser um criador de conteúdo

Confira este vídeo, em inglês, do canal Rules for Rebels, que fala um pouco mais sobre esse artigo publicado pelo New York Times:

Quais as consequências do You Only Live Once no mercado?

Após mais de um ano reclusos em casa e trabalhando à distância, muitos desses “rebeldes” da geração Millennial não têm interesse em voltar para o trabalho presencial e passaram a valorizar ainda mais sua liberdade e autonomia..

Com o dinheiro que eles conseguiram economizar durante a pandemia, os adeptos da filosofia do “só se vive uma vez” se sentem mais encorajados a fazer investimentos de maior risco, como mercado de ações, criptomoedas e novos empreendimentos.

Com o aumento do apetite ao risco, os simpatizantes da YOLO economy estão mudando de carreira, abrindo a própria empresa e tendo maior controle sobre seus ganhos.

Essa maior audácia profissional sacudiu o mercado e a forma com que as pessoas se relacionam com o trabalho. A experiência pandêmica levou as pessoas a repensarem suas prioridades e objetivos profissionais e pessoais.

O artigo do The New York Times cita uma pesquisa realizada pela Microsoft com os seus mais de 160 mil funcionários. A empresa constatou que mais de 40% de seus colaboradores pensam em largar seu emprego atual.

A YOLO economy tem feito as empresas refletirem sobre suas dinâmicas de trabalho. Muitas delas estão fazendo adaptações para dar maior autonomia e flexibilidade aos seus funcionários e retê-los em seu quadro efetivo no cenário pós pandemia.

Veja mais: Encontrando o seu nicho de mercado

Concluindo 

E você? Será que você se identificou com a economia do “só se vive uma vez”?

É importante ressaltar que o artigo de Kevin Roose não leva em consideração o contexto socioeconômico do nosso país.

Tendo isso em vista, é mais difícil para os brasileiros largarem seus empregos e assumir riscos maiores quando o desemprego no Brasil está em mais de 14% e o poder de compra das famílias tem diminuído bastante principalmente neste período de pandemia.

Portanto, tenha um pouco mais de cautela antes de aderir à YOLO economy e abrir um negócio próprio. Certifique-se de que você tem a segurança financeira necessária para assumir os riscos de se reinventar profissional e pessoalmente.

E se você quer uma dica concreta e eficaz de como se livrar de seu patrão e começar a ganhar dinheiro por conta própria, confira este vídeo agora mesmo:

Veja mais sobre o ChatPay: 

Quer começar a criar conteúdos digitais e iniciar suas atividades na YOLO economy? Então, faça isso direito! Leia nossas dicas e veja como criar seu canal de conteúdos para uma comunidade paga que vai gerar uma boa renda para você.


Artigos recentes

Gestão de negócios digitais: como fazer seu negócio decolar?

Saiba o que é empreendedorismo digital, conheça suas vantagens, e confira 7 dicas de gestão de negócios digitais para sua empresa decolar.

Como abrir um negócio lucrativo com pouco dinheiro? + 6 dicas

Descubra como abrir um negócio lucrativo com pouco dinheiro a partir de 6 dicas e confira algumas ideias incríveis para se inspirar.

Qual a diferença entre produtor e afiliado? + como ganhar $

Entenda qual a diferença entre produtor e afiliado e saiba como pode você ganhar uma boa grana comercializando infoprodutos na internet.

Pronto para começar?

Vamos começarPreços